O que eu faria para conquistar...? - Literatura em Movimento [Tema de Junho]



Olá, pessoal!
Cá estamos nós, novamente, para falar de um projeto sensacional (a modéstia aqui é algo!) chamado Literatura em Movimento, organizado pelos blogs Café com Livro, Sacudindo as Palavras e Da Literatura. Leia mais sobre isso aqui.
 
.
Cada mês terá um tema diferente, voltado para a literatura, e cada blogueiro publicará um texto sobre esse tema, como uma forma de conversar com os leitores e potenciais leitores também. Ou seja, serão vários blogs publicando sobre a mesma temática, porém cada um com a sua interpretação. E hoje nós viemos divulgar o tema de JUNHO!!! Yeaaaahhhh!!!

   animation   

Ah, Junho! Junho chegou e com ele, a mudança de estação, a alegria das festas juninas, a percepção de estarmos na metade do ano e o romance... Sim, sim. Nós estamos aqui para lembrar (e talvez para desesperar alguns): fala-se muito sobre amor em junho! 
Bom, a verdade é que é impossível ignorar o assunto “romance” no mês de junho. E é inconcebível não nos apaixonarmos por alguém ou algo na vida, não é mesmo? Foi pensando nisso que nós, do Literatura em Movimento, imaginamos a seguinte situação:  

Você acabou de encontrar aquele personagem-amor da sua vida literária bem na sua frente. De carne e osso. E você PRECISA declarar o seu amor por ele. É a ÚNICA chance de conquistar o seu coração! Você:
  • Faz um jantar à luz de velas?
  • Improvisa uma serenata sob o luar?
  • Sequestra-o para uma ilha deserta?
  • Atira na parede e o chama de lagartixa?
Bom... Os corações apaixonados dizem que “no amor, vale tudo”. Então, nós queremos saber:

  junho (1)    

Bem... meu personagem escolhido foi.... hum, vocês descobrirão lendo. Já adianto o seguinte, é de época. E me inspirei numa cena do livro, espero que não odeiem minha personagem que é nada menos do que euzinha né??? Já que sei que tem muitos fãs desse casal, uma delas sou eu!!  hahaha.
Coloquei algumas fotos do meu querido e amado personagem, durante o texto ;)


Um Amor Proibido...

Era uma tarde serena e agradável. Sabine Oliver esperava poder desfrutar dos ares frescos da Primavera e do perfume que emanava das macieiras dos Campos. O que não esperava era encontrar um certo cavalheiro que cavalgada pelos arredores. Ao vê-la, Darcy abriu um sorriso alegre e desceu do animal para cumprimentá-la.
- Bom dia Srta Oliver. É um prazer encontrá-la esta manhã.
- Igualmente senhor. Vejo que não está acompanhado de sua noiva. Espero que esteja bem.
- Minha querida noiva Lizzie pediu-me que lhe dissesse o quanto sente sua falta e também das aulas de piano.
- Oh! Diga-lhe que anseio em vê-la. Imagino que esteja tocando muitíssimo bem.
- Sim, está.
Houve um minuto onde Srta Oliver e Darcy trocaram olhares em absoluto silêncio. Foi constrangedor para os dois. Era a primeira vez que se viam desde aquele dia... 


Duas semanas antes...

- Creio que agora poderei tocar em dueto com Georgina sem sentir-me ofuscada por tamanho e incomparável talento...  - Srta Bennet sorriu satisfeita. - Suas aulas foram muito instrutivas Srta Oliver, obrigada. Apesar de termos mais uma semana pela frente sinto-me pronta.
- Fico feliz Srta. Seu noivo irá buscá-la em sua carruagem?
- Sim, creio que já está a caminho.
Meia hora mais tarde, a carruagem surge nas ruas nada elegantes da casa de Sabine.
- Querida, acomode-se na carruagem enquanto acerto o pagamento com a srta Oliver. - Darcy disse à Lizzie após cumprimenta-las.
Lizzie sem perceber o que acontecia, apressou-se em fazer a vontade do noivo e Darcy entrou na casa de Sabine.
- Sim, senhor Darcy?
- Quanto lhe devo essa semana?
- Já disse-lhe que seu empregado pagou-me com antecedência. Não é necessário todas essas moedas que me paga além do que combinamos.
- Ah... por favor aceite. Eu tenho notado que a srta tem feito muito bem a Lizzie. A srta é uma moça muito...  agradável.
Sabine corou. Não era a primeira vez que Darcy lhe encontrava depois das aulas para lhe oferecer um pagamento extra.
- Eu a admiro muito e Lizzie também. Por favor aceite.
Darcy estendeu o pequeno saco de veludo com as moedas e diante do olhar do senhor, Sabine sentiu-se tomada por algo que desconhecia... uma dor lancinante no peito. Suas mãos fraquejaram e o saco com as moedas caíram.
Darcy apressou-se em pegar no mesmo momento em que ela abaixou-se e seus cabelos desprenderam-se, caindo cascatas de mexas por seus ombros.
Darcy parecia deslumbrado com a visão. E instintivamente pegou uma das mexas, colocando-a atrás da orelha da senhorita. Ela, encabulada, levantou-se rapidamente e deu um jeito de livrar-se logo dele, dizendo que estava muito ocupada. Desde esse dia, Sabine não deu mais aulas para Lizzie. Sentiu-se culpada pelo que havia acontecido na sala de sua casa. Aquele não era um comportamento adequado nem para Darcy, nem para ela. Decidiu que jamais o veria novamente. Mas não foi assim que o destino quisera.... 


- Por que desaparecera? - Darcy finalmente quebrou o silêncio.
- Está escurecendo.. não acha melhor voltar para casa?
- Não... seria melhor a srta voltar?
- Olhe senhor... não lhe devo explicações. Eu tive meus motivos, e acredito que o senhor saiba.
- Não sei. Peço que me explique claramente.
- Não se faça de inocente! Eu não poderia continuar com aquela farsa!
- Ainda não se fez entender senhorita...  acredite, não faço ideia do que quer dizer.
- Então finge não sentir nada em relação a mim?
Darcy parecia tomado de uma surpresa que despedaçou o coração de Sabine.
- Amo Elizabeth... como poderia sentir algo pela senhorita que não amizade?
- Por que eu o amo! Com todo meu coração. Foi por isso que desapareci... - Sabine observou o semblante confuso de Darcy. Não era possível que estivesse enganada em relação aos sentimentos do cavalheiro.
- Senhorita...
- Todo aquele seu cuidado e atenção...  o que mais poderia ser? Fizeram com que eu não pudesse mais fingir não sentir nada pelo senhor. Eu lutei bravamente e essa semana que se passou foi a pior de minha vida. Eu desejava estar no lugar de Lizzie.
Os olhos de Darcy piscaram muitas vezes até que assimilasse o que acabara de ouvir. 
 - Eu não sei o que dizer...
- Diga apenas que sente o mesmo. Recuso-me a acreditar que foi um engano do meu coração.
- Não foi... - Darcy disse entre os dentes.
- O que disse? - Sabine perguntou ansiosa.
- Quero dizer que a amo. - ele finalmente revelou com tristeza no olhar.
- Mas como...? Lizzie?
- Eu achei que a amava. Fiquei fascinado pelo caráter destemido que ela possui e foi como uma aventura conquistá-la. Mas com você...
Sabine sentiu seu peito apertar.
- Nunca conheci alguém tão doce e pura. Tão bondosa e delicada. Arrependo-me de não tê-la conhecido antes senhorita...
- O senhor ainda não se casou... - ela mantivera a esperança de um final feliz. Pelo menos para ela.
- Sou um homem de palavra. Casarei com Elizabeth.
Neste instante Sabine suspirou, seguido de um choro contido. Não queria perdê-lo, agora que sabia que seu amor era correspondido.
- Por favor não chore. Saiba que meu coração chorará todos os dias que deitar em minha cama e você não estiver ao meu lado.


- Não se case com ela. Eu o amo! Eu poderei fazê-lo feliz como ninguém jamais o fará! - nem a própria senhorita conseguia acreditar no que estava se submetendo por amor. Se não o encontrasse naquela tarde, provavelmente ele jamais saberia sobre seus sentimentos, nem ela os dele.
Em um momento de desespero por perdê-lo Sabine aproximou-se demais, o suficiente para fazer o coração de Darcy bater mais forte e o seu próprio, falhar. Seus dedos percorreram os cabelos do senhor que fechou os olhos  imaginando como seria ter o carinho das mãos de Sabine todos os dias. A ideia quase o fizera mudar sua decisão. Mas manteve-se firme. Ao menos até aquele instante. Depois disso perdera-se nos lábios doces da moça que o beijara naquele momento. E então não se importava com mais nada ao redor. De repente tudo parecia em perfeita harmonia, como deveria ser desde o início. Ambos poderiam morrer naquele instante.
Quando seus lábios se afastaram, tudo que Darcy desejava era envolve-la em seus braços. E tudo que Sabine ansiava era somente ele. Mas não foi o que aconteceu. Darcy odiava-se por isso, por ter que abandoná-la, por ter que esquecer aquele beijo, por ter de partir. Partir para um futuro sem sua verdadeira amada. Mas às vezes pagamos por nossas escolhas. E ele escolhia dizer adeus.
Antes de montar em seu cavalo, Darcy beijou um dos lados do rosto de Sabine demoradamente... era uma despedida. Sem dizer mais nada saiu galopando em direção ao seu destino escolhido. Aquele que um homem cumpre com suas palavras e promessas nem que para isso deixe seu coração ferido para sempre.

FIM...

Como vocês perceberam, meu personagem escolhido sem pestanejar foi Mr Darcy!!! E esse momento foi meio que inspirado nessa cena do livro e filme rs. Não exatamente do mesmo jeito e situação, mas foi hehe.


Ahhhhhh digam se Darcy não é um sonhooooo?? Pois bem, espero que tenham gostado da minha versão que envolveu a pobre Lizzie hahaha. Foi mal querida, esse é meu momento kkkk.
Comentem o que acharam, deem um like ou compartilhem que eu ficarei muito feliz!!! 
Nos vemos na próxima, beijos da Sa!



22 comentários:

  1. Nossa, Sa!!! Adorei!! Ficou muito bom!! Lizzie que se cuide porque se Mr. Darcy aparecesse na sua frente, ela o perderia na certa!! Haha

    Beijos!!
    Café com Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lena! Hahaha Lizzie teria que ficar de olho se eu vivesse naquela época lá hehe, assim que ela desse o fora nele, eu ia consolá-lo e não soltava mais rsrs. Beijos.

      Excluir
  2. Sa, eu não sei porque, mas logo imaginei quem você escolheria para esse desafio...kkkkkk
    Acho o Sr. Darcy muito enigmático e sedutor, Lizzie não teria a menor chance.

    Beijokas da Quel ¬¬
    http://literaleitura2013.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ei, Sá!
    Você escreve muito bem, muito mesmo! Eu praticamente te vi dentro de OeP, dando uns pegas no Mr Darcy!
    Parabéns!
    Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curtiu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, linda!! Ai, eu também consigo me ver lá com o Darcy haha pena que só sonho né? rsrs Deixa meu marido ler isso... kkkk mas ele sabe que Darcy é Darcy, até ele acertou quando pedi que adivinhasse quem escolhi rsrs. Beijos.

      Excluir
  4. Mr. Darcy é um verdadeiro conquistador, até tu se rendeu a ele? Lizzie que se cuide por que seu relacionamento está por um truz, tenho penha da coitada.
    Parabéns.

    Julielton Souza - Dialética Proposital

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha até eu, claro! Nem pensei em outro rsrs. Obrigada, beijão.

      Excluir
  5. Oi Sabrina, realmente o Darcy é um sonho de qualquer mulher... ele é tudo de bom nossa!!!
    Gostei de seu conto... foi inspirador e revelador rs... Xero!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Sabine, doce Sabine, como Amante de Jane Austen que sou parabenizo-a pelo texto... ficou excelente.
    Amantes de Jane Austen

    ResponderExcluir
  7. Ótimo texto!! Juro que estou à beira das lágrimas aqui! Parabéns pela ideia e pela escrita!

    Bjs da Cami
    http://mynerdbubble.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Sabrina!!
    Estou apaixonada pelo seu texto!!
    Nem tem o que falar do personagem né.
    Texto perfeito, me envolveu totalmente.
    Beijão
    Lilica - O maravilhoso mundo da leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lizi, muito obrigada! Esse personagem é muito importante especial, e fico até com o coração palpitando só de pensar hahaha. Queria ter nascido na época da Jane, será que encontrava um estilo Darcy por lá? hehe Beijão.

      Excluir
  9. Ficou um texto excelente, não tem como nao se apaixonar pelo Darcy,

    ResponderExcluir
  10. Que lindo, escolhemos o mesmo personagem! Mas também, quem não ama Mr. Darcy??
    A diferença é que no meu texto, simplesmente fingi que a Lizzie não existia, e você não, fez uma espécie de triângulo amoroso, em que prevaleceu o bom caráter de Mr. Darcy. Foi um final triste para Sabine (e um pouco para Mr. Darcy também), mas digno para o casal de Orgulho e Preconceito.
    Beijos.

    www.historiamuda.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda! Sim, escolhemos nosso querido Darcy, não tem como não amar né? rs Bem, eu tive meu momento com ele, mas tratei de dar um final feliz pra Lizzie e deixá-los juntos como sempre deve ser! Hehehe Beijão.

      Excluir
  11. SABRINAAAAAA, QUE OUSADA! hahahaha... Amei, amei o teu texto. Mr Darcy é o sonho de consumo de muitas mulheres (inclusive eu! rs), tenho certeza! Além da tua escolha, quero parabenizar a linguagem que tu utilizaste para escrever que ficou muito fiel à escrita do século XIX... genteeee, que homenagem à Jane Austen, hein?
    A única coisa que fiquei chateada foi pela Lizzie... mas, como tu mesma disseste, era o teu momento! Digamos que foi um "empréstimo"... hehehe...
    Beijo.
    Ana Karina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ana! Pois é, eu também fiquei de coração partido, pois adoro minha querida Lizzie. Mas como não aproveitar esse tema lindo do mês para tirar uma casquinha do Darcy? Haha Mas viu que o devolvi para nossa Lizzie né? Afinal, Darcy é um perfeito cavalheiro, e jamais eu o descreveria como cafajeste haha. Beijão.

      Excluir
    2. AMEI o seu texto!
      Ele ficou muito lindo e devo confessar que torci para eles ficaram juntos no final rs.
      Você escreve muito bem. Parabéns!

      http://blogquerida.blogspot.com.br/

      Excluir

Tecnologia do Blogger.