A Comissão Chapeleira #Resenha



Editora: Novo Século
Autora: Renata Ventura
Páginas: 655
Ano: 2014


“Não faz sentido o mundo inteiro adorar o Brasil, menos os brasileiros! (...) Como a gente pode querer se tornar um país melhor se a gente nem entende o que a gente é?! Só quem se  entende pode se transformar!”

[Nota Pessoal] 

Obs: Capa danificada pelo meu filho de 5 anos..rs.

Oi pessoal....Para quem leu minha resenha de A Arma Escarlate sabe que amei de paixão o primeiro livro, e o que dizer do segundo livro, da continuação? Perfeita!
Nosso “anti-herói” Hugo tenta melhorar, mas sua personalidade é forte, assim como seus defeitos. Como qualquer ser humano.
Durante as férias escolares ele trabalha como aprendiz em uma loja de varinhas, mora com a mãe numa casa da família de Caimana e tenta se livrar da culpa que sente ao lembrar-se de todos que sofreram com seus erros no ano passado. E do medo de ser preso. 
É ano de eleição assim como no mundo mequetrefe, e tudo fica lotado de propaganda política e tudo mais. Igual ao que vemos sempre. A diferença é que os cartazes falam com você!! Rsrsrs...  fiquei um tempão imaginando essa cena.
Referente as eleições acontece uma coisa que foi pura coincidência, é claro, mas acabou sendo igualzinho o que tinha acabado de acontecer na realidade, fora do livro.


“Para ampliar os horizontes de nossos jovens! Para acabar com o preconceito regional, para incentivar o respeito por outras culturas... Enfim, para criar um Brasil mais tolerante, menos ignorante, mais amoroso ainda do que já é! Porque essas são as raízes de nosso país!”

Com o fim das eleições, o mundo bruxo começa a sofrer com o novo presidente e uma reforma educacional é instalada nas escolas. Uma comissão que diz prezar pelos bons costumes e a moral, chega as escolas para inspecionar os alunos e professores. Liderada por um homem misterioso que arranca suspiros das meninas e deixa alguns personagens com calafrios, a Comissão Chapeleira (apelido dado pelo Viny) começa a se impor e amedrontar os alunos. 
O que na verdade se instala ali é uma ditadura. Quem concorda ótimo, quem não concorda nós damos um fim. Isso pode parecer spoiler, mas relaxa... não é.
Hugo começa então ver seus erros do passado darem frutos no presente e tudo volta para amedrontá-lo. Começando pelo “roubo” da varinha escarlate. Com medo que os que sofreram contem a Comissão quem foi o verdadeiro responsável pelo o que aconteceu na escola, ele evita alguns alunos. E também por causa do remorso.  


“O mundo precisa de mais ingenuidade. Está carente dela. São todos muito espertos, muito cínicos, muito céticos. As pessoas não acreditam mais em nada... São cada vez mais pragmáticas, e em seu racionalismo frio, se esquecem de sonhar.”  

Nosso pequeno Hugo se apaixona, mas sua imaturidade acompanhada pelo seu temperamento e personalidade difícil faz com que ele faça um monte de besteiras. A jovem corresponde essa paixão, mas ela também não é fácil e vira um relacionamento conturbado. Ainda mais por que a Comissão proíbe o intercambio entre escolas e a jovem, em questão, é da escola da Bahia. 
Foi outra coisa que me apaixonei, conhecer a Cidade Média, escola da Bahia. Como sabemos, lá o Candomblé é muito forte e como não poderia ser diferente, a autora cita, apenas cita, alguns Orixás como protetores das casas dos alunos. Ela não aprofunda na religião, até por que é algo muito complexo para ser explicado em um livro que já tem 700 páginas.

Esse livro foi sofrido, em vários aspectos. A história é ótima, o enredo é perfeito, é um livro que te prende e não deixa que você leia outro ou pense em outro. Eu amo a escrita da Renata e como ela faz com que a gente se sinta dentro do cenário descrito. Amo o jeito que ela colocou as falas dos personagens, afinal, nós não falamos certinho o tempo todo, usamos gírias, temos vícios de linguagem e ela conseguiu passar isso para os personagens com maestria.


"Dizem que a alegria é talvez a única dádiva que você é capaz de ofertar sem possuir. Mas uma vez que você a oferta, ela surge em você. Como mágica."
 
Eu digo que foi sofrido por que os erros do Hugo desencadearam um monte de acontecimentos, que faz com que mais gente sofra e sofra muito mesmo. Ele até toma algumas atitudes para tentar amenizar, mas tudo vai por água a baixo e seu maior protetor e amigo sofre horrores.
O livro deixa um monte de perguntas no ar, principalmente sobre novos personagens que surgiram na trama. Isso faz com que você queira muito a continuação, para ver o que vai ser deles ou quem realmente são.
É difícil, para mim, resenhar um livro sem dar muitos spoilers, ainda mais quando é uma continuação e você tem que tomar cuidado para não contar coisas que deem spoilers do primeiro também.
Eu estava ansiosa pela continuação de A Arma Escarlate... e A Comissão Chapeleira não me desapontou em nada, agora aguardo a próxima continuação...



10 comentários:

  1. Adorei a resenha!! Já li "A Arma Escarlate", mas ainda não tenho esse. Fiquei com mais vontade de ler!! haha

    Beijos
    http://cafecomlivroo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Só não falo nada pq não li ainda esse livro interminável, mas por enquanto não tô gostando muito por causa desse uso patológico de eleições, um clichê nacional que estraga qualquer história

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi anônimo que todos sabemos quem é, você por aqui de novo?! Fazer o que? Essa desgraça de eleição se passa em todos os países e não ia ser diferente aqui.

      Excluir
    2. Não, não foi bem isso que imaginei, pense no próprio Harry Potter no quinto livro, esse por exemplo está mais próximo de algo como eleições, esse trata-se do abuso do poder quando lidera algo o torna revolta, e sobre quem deveria liderar tal coisa, é mais ou menos assim que eu queria, e esse HP sequer fala sobre eleições. Viu há muitos meios de tratar desse assunto, em ACC é algo que podemos chamar de ELEIÇÕES O FILME :-P

      Excluir
  3. Aê! Pelo menos estou tendo a compaixão de dar uma força nos comentários
    Não tem por onde!

    ResponderExcluir
  4. Oi, estou muito ansioso para ter essa perfeição na minha casa. Muito ansioso mesmo! Ah... quero um autografo desse para mim também. Eu li A Arma Escarlate e adorei, gostei muito, achei incrivel. Ansioso para ler ACC. As capas da Rê são lindas!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruno, tenho certeza que você vai gostar. É muito bom, mas prepare seu coração!!! hehehehehe...

      Excluir
  5. Nunca consigo encontrar A Arma Escarlate pra começar a ler, mas a Renata é muito gente boa.
    Parabéns pela resenha ;)
    Abraços
    armadaescrita.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comece ler logo..... tenho certeza que vai gostar!! bjs

      Excluir

Tecnologia do Blogger.